Fazer aniversário



Tenho certeza, (CERTEZA!) que qualquer dia desses alguém vem bater na minha porta, vestido com um terno sóbrio e gravata borboleta dourada, e com a cara mais deslavada do mundo, mas ainda assim, com um ar solene dirá :

_Desculpe, Cristiane! Foi tudo um engano. Verificamos aqui e chegamos a conclusão que os anos estavam sendo contados de forma errada. De dezembro de 1981 até aqui não são 36 anos. Imagine! Quase 40! Não, senhora! Aliás, não senhorita! Sabe aquela sua impressão que ontem mesmo você vestia seu uniforme escolar azul e branco? Realmente. Você tem razão! Foi nesta última segunda-feira. O seu primeiro dia na faculdade? Horas atrás. Aquelas tardes em que você e seus  amigos estudavam debaixo dos pés de mexerica? Foi há poucos segundos. O tempo enlouqueceu! Fique calma! Essas ruguinhas servem apenas para lembrar que tudo passa no bater das asas de uma borboleta. Calendários gregorianos não merecem nosso respeito.

Então eu, uma senhora não senhora de mim, gritarei em gargalhadas:
_Eu sabia!!!!

Virarei as costas para o mensageiro da cronologia e direi para o meu corpo:
_Se aquiete! Somos - ainda - duas crianças bobas! 
0 Comentários

Gostou do texto? Deixe sua opinião: