Bob Dylan: o cantor-poeta


Conheça a trajetória do músico norte-americano que ganhou o Prêmio Nobel de Literatura por criar uma nova expressão poética. 

Qualquer um que tenha ouvido uma canção de Bob Dylan entende por que ele foi homenageado com o Prêmio Nobel de Literatura 2016. Bob criou, na tradição musical norte-americana, uma nova forma de expressão poética. Suas canções autorais em estilo folk, um ritmo que surgiu na década de 1960 nos Estados Unidos e Canadá, combinam mais que elementos da música folclórica e do rock. Abordam, com maestria, temas que vão desde questões humanas, como amor, envelhecimento e desilusão, até letras com protestos políticos e raciais.

Entre elas, destacam-se as clássicas “Mr. Tambourine Man”, “Don't Think Twice”, “It’s All Right”, “A Hard Rain’s A-Gonna Fall”, “Like a Rolling Stone” e a famosa canção Blowin' in the Wind”, de (1963). Composta, segundo Dylan, em apenas 10 minutos, a música sobre o vento se tornou um dos hinos dos direitos civis americanos durante a década de 1960. Embalada pelo som de uma gaita, uma das marcas registradas do cantor, a letra traz frases como “Quantas estradas um homem precisará andar antes que possam chamá-lo de homem?”.

Todo o acervo e as conquistas musicais deste ícone do folk, nascido Robert Allen Zimmerman, em 24 de maio de 1941, no estado de Minnesota, rendeu-lhe os títulos de “sétimo maior cantor de todos os tempos” e o “segundo melhor artista da música de todos os tempos”, atrás somente dos Beatles, segundo a revista Rolling Stone.

Mas a integridade artística de Bob Dylan não se fez apenas por meio de suas canções. Ele também é escritor, com quatro livros publicados: “Crônicas - Volume 1”, lançado em 2005, a obra ficcional “Tarântula” (1971), ambos publicados no Brasil, e dois livros infantis que trazem o nome de Dylan na capa, mas foram inspirados em canções dele.

Confira alguns trechos de músicas e frases de Bob Dylan. Confira:

"Quando não se tem nada, não há nada a perder."

"A felicidade não está na estrada que leva a algum lugar. A felicidade é a própria estrada."

"Não sou eu. São as músicas. Eu sou só o carteiro. Eu entrego as músicas."

"Algumas pessoas sentem a chuva. Outras, apenas se molham."

"Engula o seu orgulho: você não irá morrer. Não é veneno."

"O ontem é apenas uma memória, e o amanhã nunca é o que deveria ser."

"Digo que não existem palavras tristes, apenas pessoas tristes."

"Ninguém é livre. Até os pássaros estão presos ao céu."

“A melhor coisa que você pode fazer por uma pessoa é inspirá-la.”

 “Um homem é um sucesso se pula da cama de manhã e vai dormir à noite, e, nesse meio tempo, faz o que gosta.”

“A única coisa que as pessoas tem em comum é que estão todas caminhando em direção à morte.”

“Eu curto Shakespeare. Um efeminado delirante e um cérebro de anfetamina cósmica.”

Saiba mais:

Bob Dylan cresceu numa pequena cidade de 16 mil habitantes chamada Hibbing, também no estado do Minnesota. Aos 10 anos, escreveu seus primeiros versos e, na adolescência, aprendeu sozinho a tocar piano e guitarra. Sua carreira musical quando fez covers de Little Richard e Buddy Holly, mas logo o cantor se enveredaria pelo folk. O primeiro disco, de 1962, era composto basicamente por covers e não fez muito sucesso. Já o segundo, The Freewheelin' Bob Dylan”, foi seu primeiro grande êxito na carreira. O terceiro álbum, “A Hard Rain's are Gonna Fall”, que tem o hit “Blowin' in the Wind”, foi o precursor de uma série de clássicos que fez de Bob Dylan um dos cantores-poetas mais consagrados da atualidade.



Fontes: Último Segundo IG, revista Rolling Stone, InfoEscola.
Texto publicado originalmente na Revista Ecológico
Imagens: 
1. Reprodução
2. Photo by Pete Souza / Official White House




0 Comentários

Deixe seu comentário aqui:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...