Se o Galvão pode, eu também posso!

Foto: Reprodução
Comentários femininos da Copa
Estreia do Brasil na Copa 2010
Brasil x Coréia do Norte
Ontem, depois de recusar e ser recusada para vários convites de ver a Copa em algum boteco, saí do meu trabalho e rumei a minha casa, "sola" e humilde.
Um pouco infeliz, meio atacada na TPM, liguei para a casa de minha mãe tentando descobrir como veriam o jogo em Arcos. Ela disse que, assim como eu, ficaria em casa nutrida de uma boa pipoca!
Eu, que não tinha pipoca, fiz um café, comi um queijo minas e esperei o início da partida. Enquanto o chato do Galvão Bueno falava, eu lembrava de todas às vezes que vi a Copa bebendo uma boa cerveja e rindo das minhas amigas, tão pouco informadas sobre futebol, feito eu!
Nostalgias à parte, a partida começou.
Cantei o hino como se estivesse em meio a multidão: entusiasmada, patriota, sozinha, em pé no meio do meu quarto, com a mão no peito.
Achei até bonito o choro daquele jogador coreano, o Jong Tae-Se, ao cantar o hino da pátria dele! Eu também choraria no lugar dele! Eu chorei até quando fiz meu juramento profissional, no dia em que me formei em Jornalismo. E chorei também quando vi uma mulher emocionada no Esquadrão da Moda, porque tinha ficado mais bonita e fashion...
Voltando ao jogo, Galvão narrando... #calabocagalvao rsrs Mas, ele não se cala mesmo! Nem adianta, o Casa Grande, o Falcão e o Arnaldo César Coelho terem opiniões diferentes sobre aquele 1º tempo medíocre! O Galvão insiste em levantar a moral! O Brasil todo puto, eu que nada sei desse esporte, também bem puta, e ele lá: vai mudar, o 2º tempo vai mudar! Aff... Sempre achei que ele é um tipo de "Amaury Júnior" do futebol: puxa-saco! O Amaury da high-society e o Galvão dos jogadores.
2º tempo começou.
O Maicon, que sempre botei fé, fez o primeiro para o Brasil! Ele tem jeito daqueles jogadores raçudos, que vestem a camisa por nós... Uma ilusão nessa vida, sempre nos faz bem!
Já o Elano, que tem muita cara de se chamar Elano, cujo significado do nome é "oculto", fez o segundo gol. Achei o gol dele oculto mesmo! Nem estava prestando tanta atenção na partida, e ele foi lá e fez! Eu gritei também! Fiquei feliz! Mais pelo Maicon do que por ele, mas fiquei feliz!
E quando eu, depois de 4 anos, quase conseguindo assistir uma partida de futebol inteira, vi a Coréia do Norte, no finalzinho, ir lá e fazer um gol.
Achei ridículo! Desmereci o gol do Maicon, do oculto, e quase tive um sentimento de derrota!
Por essas e outras, que não posso gostar (e entender!) de futebol... É muito envolvimento emocional! É quase um amor não correspondido! A gente cria o clima, se entusiasma e no final: não é correspondido, não ganha nada em troca... De tudo: engraçado mesmo foram só as sobrancelhas do técnico da Coréia do Norte  http://migre.me/PfXo
Afinal, se o Galvão pode falar tantas besteiras, eu também posso!
1 Comentários

Deixe seu comentário aqui:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...