Tal como as árvores

Há alguns dias andando pelas ruas do bairro, vi aquelas folhas amarronzadas espalhadas pelas ruas. Muitas delas, em muitas esquinas, fazendo aquele barulhinho de folha seca quando a gente pisa. Olhei para o alto e a dona das folhas toda nua lá em cima, bem mais alta que as demais. Lembrei-me então, de uma vizinha de infância que tinha essa árvore plantada na calçada, conhecida como Amendoeira-da-praia e que sempre no inverno ou outono, juntava todas as folhas e ateava fogo! Todo mundo ficava enfurecido com aquela fumaça que demorava acabar, invadia as casas e a escola que ficava em frente.
Tempos depois, num dia qualquer, acordei e vi que a árvore não estava mais lá! Ela havia mandado cortar e arrancar até mesmo as raízes. Fiquei triste, ralhei pela sombra que iria faltar! Mas, o fato é que a calçada da vizinha, hoje em dia, continua seca, cinza de cimento e nada mais... Nada mesmo! Nem árvore e nem a fumaça do fogo ateado.
Passados os anos, eu hoje adulta, continuo por aí observando essas folhas secas e o trabalho que elas dão para serem recolhidas. Fico pensando se as pessoas não seriam como aquela senhora, esperando a primeira oportunidade para podá-las ou arrancá-las até à raiz!
O fato é que caída e recolhida todas as folhas, as árvores que observei continuaram lá. Nuas e rachando calçadas! Há quem goste, pensei.
Passado uns dias de passeios com menos folhas, me peguei surpresa olhando uma dessas árvores. Pequenos brotos verdes estão surgindo! Em pouco tempo ela dará aquela sombra gostosa, ampla, da qual gostava quando menina.
Existem os tempos de folhas secas e caídas ao chão, elas fazem sujeiras, dão certo trabalho para recolhê-las, sumir com cada uma delas. E enquanto limpamos aquilo que incomoda, estamos nus, sem folhas. Mas, com cuidado e paciência vai se ajeitando tudo: os brotinhos surgem, novos e verdinhos, para cumprirem outro ciclo, enquanto algumas rachaduras permanecem. Tal, como nós! Afinal, como já escreveu Manoel de Barros, o poeta pantaneiro: "As folhas das árvores servem para nos ensinar a cair sem alardes".
0 Comentários

Deixe seu comentário aqui:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...